Fazer

Com a sua mente livre e seu sistema organizado e confiável, você poderá partir para a última etapa do GTD: decidir o que fazer de sua lista de próximas ações.

A motivação para iniciar e completar uma tarefa é absolutamente pessoal, mas escolher uma tarefa no GTD é fácil. Eis os critérios para essa tomada de decisão:

Contexto

Quais tarefas você pode executar em seu local atual? Você dispõe de todas as ferramentas necessárias?

Na configuração do Evernote sugerida, foram criadas listas baseadas em contexto para filtrar as tarefas, pois de nada adianta olhar para uma tarefa que você precisa executar em sua casa enquanto você está no escritório.

Tempo

Com a visualização apenas das tarefas adequadas ao seu contexto atual, verifique o seu tempo disponível. Não comece um relatório de 1 hora se você tiver apenas 10 minutos antes da próxima reunião.

Prioridade

Qual é a tarefa mais importante? Lembre-se que na etapa de processamento a prioridade já foi definida, entretanto, ela poderá ser modificada nas etapas de revisão ou com base em alguma informação adicional (por exemplo, o prazo para conclusão de um relatório foi alterado).

Energia

Máquinas não se sentem indispostas. Caso fosse uma delas, apenas os três critérios anteriores seriam suficientes para você escolher uma tarefa. Entretanto, você deve refletir se no momento possui a energia necessária para a execução desta tarefa.

Os ciclos e os níveis de energia de cada pessoa são diferentes. Algumas se sentem mais dispostas pela manhã, outras precisam de cafeína. Não existe fórmula mágica, apenas autoconsciência vai lhe permitir gerenciar melhor os seus níveis de energia.

Agora que escolheu uma tarefa com base nestes quatro critérios, basta fazer.

Continuar lendo